AUXÍLIO BRASIL IRÁ DESTRUIR O PAÍS? | Furo no teto de gastos, PEC dos Precatórios e o futuro do país

Então, segue o link abertura de conta na Avenue: https://bit.ly/2Ss8hlc

Auxílio Brasil vai mais atrapalhar que ajudar o país? O furo do teto de gastos realmente faz sentido? E a PEC dos Precatórios é uma manobra para rolar a dívida?

A bolsa brasileira derreteu muito nas últimas semanas chegando aos 106 mil pontos e o dólar subiu muito nos últimos dias. Diversos fatores influenciaram para isso, mas o principal deles foi a aprovação do governo Bolsonaro e do ministro Paulo Guedes de romper o teto de gastos, através da PEC dos Predatórios para a criação de um novo benefício: o Auxílio Brasil.

——
O que seria o Auxílio Brasil?

Auxílio Brasil nada mais é que um programa assistencialista do governo que busca pagar uma ajuda de 400 reais mensais para cerca de 17 milhões de famílias que passam dificuldades financeiras por conta da crise. O Auxílio Brasil é como se fosse um bolsa família, mas com um pagamento maior às famílias.

De fato, existem diversas famílias que estão passando por dificuldade por conta do desemprego causado pela crise, e, por isso, que programas assistencialistas do governo são necessários para ajudar essas pessoas a terem dignidade. O problema principal foi o momento e a forma que o governo aprovou essa medida; causando um furo do teto de gastos através da PEC dos Precatórios.

——
O que é o teto de gastos?

Em 2016, após diversas gastos irresponsáveis do governo Dilma com o orçamento da União,- o que levou ao seu impeachment-, o então ex-presidente Michel Temer aprovou a criação de um teto de gastos para o governo brasileiro. Esse teto limitava o crescimento dos gastos anuais do governo durante os próximos 20 anos. Os gastos somente seriam reajustados pela inflação.

Até 2021 esse teto de gastos estava em vigor, porém,o governo atual, em uma manobra para conseguir aumentar os gastos da União e possibilitar a criação do Auxílio Brasil, está apoiando a aprovação da PEC dos Precatórios.

——
O que é a PEC dos Precatórios?

PEC nada mais é do que uma Proposta de Emenda Constitucional. Ou seja, é uma proposta para modificar uma pequena parte da Constituição Brasileira.

Já, os precatórios são títulos de dívida do governo, que ele contrai ao perder em última instância um processo na justiça, tanto para pessoas quanto para empresas. Ou seja, são as dívidas que o governo tem que pagar de processos que ele perdeu e não tem mais como recorrer.

A PEC dos Precatórios reduz o pagamento das dívidas que o governo tinha para o ano
de 2022, através de uma rolagem dessas dívidas para os anos seguintes. Basicamente,
o governo vai parcelar essa dívida em mais anos, pagando mais juros, mas, ao mesmo tempo, reduzindo o seu pagamento total para o ano de 2022.

Essa manobra contábil abriu margem para a União aumentar os seus gastos no ano que vem, mesmo não tendo quitado as suas dívidas. Isso permitiu o governo conseguisse legalmente furar o teto de gastos criado em 2016 durante o governo do ex-presidente Michel Temer.

——
Por que o furo do teto de gastos é ruim para o país?

Um país com um governo que gasta dinheiro desenfreadamente é um país que tem um risco maior de se investir, se comparado a um outro país que tenha uma responsabilidade fiscal.

Isso acontece por diversos motivos. Um deles é que quando o governo de um país aumenta seus gastos sem uma justificativa plausível por trás, isso afeta diretamente outras políticas econômicas do país, por exemplo a taxa de juros do país.

Se o governo está gastando muito ele precisa arrecadar mais para cobrir os seus gastos. Existem duas principais formas do governo arrecadar mais: aumentar impostos e aumentar a taxa de juros.

A relação entre aumentar impostos e arrecadar mais dinheiro é fácil de se entender. Já a relação entre aumentar a taxa de juros e aumentar a arrecadação é um pouco mais complexa.

Para compreender isso, você precisa lembrar que a taxa de juros de um país é a taxa que recompensa investidores que decidiram emprestar dinheiro para o governo. Então, os títulos públicos que o governo emite têm a sua rentabilidade diretamente atrelada à taxa de juros da economia.

Se a taxa de juros está alta, investidores são atraídos a emprestar dinheiro para o governo por conta das altas rentabilidades que vão receber. Então, quando o governo aumenta a taxa de juros, ele aumenta a sua arrecadação.

Mas, existe um tradeoff nisso. Quando as taxas de juros aumentam, o custo dos empréstimos para empresas também aumentam, porque o custo de oportunidade de emprestar dinheiro a um baixo risco (no caso emprestar dinheiro para o governo) também aumenta. Isso faz com que empresas tenham mais dificuldade de conseguir empréstimos e, consequentemente, de crescer mais rápido.

You May Also Like